• Receba informações e promoções de nosso site.


 

Notícias

Direitos do Consumidor

Prefeito abaixa valor da tarifa do onibus em Cuiabá-MT

por Olhar Direto
17/12/2013 às 22:32h

Uma notícia boa para a população Cuiabana: entra em vigor na próxima quinta-feira (19) a nova tarifa do transporte coletivo de Cuiabá, com valor atualizado de R$ 2,60, ou seja, uma queda de R$ 0,25 centavos no preço da passagem, que para o cidadão que depende do transporte público irá representar uma economia e tanto ao longo do ano.

O decreto diminuindo o valor da tarifa foi assinado nesta terça-feira (17) pelo prefeito Mauro Mendes (PSB), depois que ele recebeu parecer favorável da Comissão Municipal de Transporte para fazer a alteração.

Segundo o prefeito, tudo isso que esta acontecendo agora é por que lá atrás ele teve a coragem de coragem de pedir uma auditoria na planilha de custos apresentada pelas empresas que operam no transporte público.

Conselho Municipal aprova redução da tarifa em R$ 0,20 e já estuda majoração para 2014 Estudantes fazem vigília pela redução da tarifa do transporte público na capital “Foi um decreto do prefeito que instituiu essa comissão que contou com membros da prefeitura, do Ministério Público.

Essa auditoria chegou ao final com um parecer, mas a lei diz claramente que o Conselho de Transporte tem que se pronunciar para que haja qualquer mudança tarifária, e assim que o conselho se pronunciou eu imediatamente reuni o gabinete e já emiti um decreto, já assinei, onde a partir da zero hora de quinta-feira já passa a vigorar a nova tarifa de R$ 2,60 recomendada pelo Conselho”, disse.

Entenda o caso: Mediante intensa pressão popular, uma comissão foi montada por representantes do Ministério Público Estadual, da Prefeitura de Cuiabá e Câmara de Vereadores para analisar a planilhas de custos que compõem a planilha responsável por fixar a tarifa do transporte público.

Ao todo, o relatório apresentado pela Comissão possui 42 páginas e aponta que o valor deveria ser menor do que o atual cobrado (R$2,85).

Nesse estudo comparativo entre os valores apresentados nas planilhas das empresas e valores cobrados no mercado foi possível concluir que a tarifa praticada estava mesmo com sobrepreço, além disso, uma série de divergências foi encontrada pela comissão.

Dentre os itens analisados estão; combustível, rodagem, frota, benefícios salariais, custo de capital, tributos e quantidade de passageiros.